quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Igreja Episcopal celebra primeiro casamento gay em templo

     Ativistas LGBTs ao redor do mundo comemoraram o que consideram uma vitória no campo da luta pelos seus direitos. Peter Matthews e Alistair Dinnie foram os primeiros homossexuais a se casarem em uma igreja evangélica no Reino Unido. A união foi oficializada no início deste mês, em Edimburgo, dentro nas novas diretrizes da lei canônica da Igreja Episcopal Escocesa. Houve ainda celebrações de casamento entre pessoas do mesmo sexo em igrejas nas cidades de Glasgow e Moray.

       A Igreja Episcopal aprovou em junho que casais homoafetivos pudesse se “casar” na igreja durante seu Sínodo Geral. O reverendo Markus Dunzkofer, afirmou que foi um “privilégio e uma honra” oficializar os laços de Peter e Alistair.

“Estou encantado que os dois se uniram e queriam um casamento na igreja. Isso incentivou não só a mim, mas a muitos membros da congregação”, afirmou o reverendo, que já havia dado a benção a duplas gays, mas era proibido até recentemente de formalizar a união com o “ritual completo”.

         A igreja episcopal, um ramo liberal da comunhão Anglicana e maior denominação do Reino Unido, retirou a cláusula doutrinária que definia casamento como “união de um homem e uma mulher”. A nova redação da lei canônica garante, porém que “o clero que não desejar realizar casamentos do mesmo sexo, não será obrigado a fazê-lo contra sua consciência”.

     A decisão escocesa teve repercussões em igrejas episcopais de vários países, encontrando oposição apenas em um grupo minoritário, sobretudo de líderes africanos. Dentro da denominação o assunto é debatido há anos e contou com uma campanha liderada por bispos anglicanos que, defendendo uma teologia liberal e inclusiva, se revelaram verdadeiros ativistas da causa LGBT. 

Com informações Telegraph

Nota do Blog: Infelizmente, essa é somente uma das consequências em se abraçar o Liberalismo Teológico.  Interpretar as Escrituras sob esse viés demoníaco, abre precedentes para que esse tipo de distorção aconteça. É muito triste ver denominações históricas sucumbindo á essas aberrações teológicas e se rendendo á uma agenda global que fere os princípios do cristianismo. Lamentável. Maranata!

Veja também: 







Nenhum comentário:

Postar um comentário