quinta-feira, 29 de maio de 2014

O que é apologética?

Qual é o intuito de se fazer mais um blog de Apologética Cristã? Quando fiz esse Blog essa foi a primeira pergunta que veio a minha mente. Existem excelentes blogs desse assunto tão atual na rede e creio na necessidade de que mais pensadores cristãos, com uma postura conservadora, se coloquem em posição em defesa das verdades imutáveis contidas nas Sagradas Escrituras. A minha intenção é justamente somar forças com as vozes que se levantam para dar respostas satisfatórias as questões contemporâneas. Mas o que é Apologética?

A palavra "apologia" vem de uma palavra grega que significa "dar uma defesa". Apologética Cristã, então, é a ciência de dar uma defesa da fé Cristã. Há muitos céticos que duvidam da existência de Deus e/ou atacam a crença no Deus da Bíblia. Há muitos críticos que atacam a inspiração e inerrância das Escrituras. Há muitos falsos professores que promovem doutrinas falsas e negam as verdades básicas da fé Cristã. A missão da apologética Cristã é combater esses movimentos e promover o Deus Cristão e a verdade Cristã. O versículo chave para a apologética Cristã é provavelmente 1 Pedro 3:15-16:

"... antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor..." 

Não há nenhuma desculpa para um Cristão ser completamente incapaz de defender sua fé. Todo Cristão deve ser capaz de pelo menos dar uma apresentação razoável de sua fé em Cristo. É claro, que nem todo Cristão precisa ser um especialista em apologética, no entanto, deve saber o que acredita, por que acredita, como compartilhar sua fé com outras pessoas, e como defendê-la contra mentiras e ataques.Um segundo aspecto de apologética Cristã que é ignorado com freqüência é a primeira parte de 1 Pedro 3:16: 

"... fazendo-o, todavia, com mansidão e temor..." 

Defender a fé Cristã com apologética nunca deve envolver ser rude, furioso ou desrespeitoso. Enquanto praticando apologética Cristã, devemos tentar ser fortes em nossa defesa e ao mesmo tempo imitar a humildade de Cristo em nossa apresentação. Se ao ganharmos um debate levamos uma pessoa ainda mais longe de Cristo pela nossa atitude, perdemos o verdadeiro propósito da apologética Cristã.


 A defesa da fé cristã sempre esteve presente na vida da igreja desde seus primórdios, pois a "nova fé", necessitava de uma defesa. Conforme o versículo postado acima, percebemos como já no período apostólico os discípulos já enfrentavam problemas com os judaizantes, pagãos e gnósticos e deveriam ter uma boa resposta, racional e bem embasada para responder às questões levantadas. Além disso, os apóstolos e a Igreja já contavam com a capacitação do Espírito Santo que os dava ousadia para anunciar o Evangelho e através da operação de maravilhas, curas e milagres que também testificava do poder de Deus sobre a vida deles.



Com o fim do período apostólico e a morte dos discípulos que viveram com Jesus, surgiram outros homens que arvoraram a bandeira da apologética cristã. Um desses grandes nomes foi Irineu de Lyon, discípulo de Policarpo de Esmirna, que foi discípulo do Apóstolo João. Irineu escreveu no séc. II, um tratado chamado Contra as Heresias, que foi um ataque frontal à heresia perniciosa do gnosticismo, movimento que entre alguma de suas vertentes negava a natureza humana de Jesus. Outros grandes nomes da História Eclesiástica, como Tertuliano, Atanásio e Agostinho de Hipona, escreveram livros e tratados acerca da verdadeira ortodoxia e nos deixaram um grande legado escriturístico.



Agora é a nossa vez. E hoje mais do que nunca, assim como os grandes nomes da história da Igreja, devemos continuar levando essa mesma bandeira, dar prosseguimento a essa árdua tarefa de defender os valores cristãos dos inimigos da verdade e refutar com argumentos sólidos aos céticos que tentam desacreditar as Santas Escrituras. Que o Espírito Santo nos ajude a "batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos" (Jd. 1.3).



Amém!

Prof. Saulo Nogueira