terça-feira, 17 de junho de 2014

A boca fala do que o coração está cheio



       A Copa do Mundo está a mil no Brasil e apesar da grande festa, não deixam de existir manifestações e críticas por parte de pessoas, vídeos e instituições. Eu particularmente não tenho uma grande fixação por Futebol e nem "torcedor" de verdade eu sou. Mas eu assisto os jogos da Copa. Nenhuma incoerência nisso: a copa foi paga com dinheiro público. Paguei, logo assisto. Dona Dilma deu uma de boa anfitriã aprovando isenção total de impostos para bens e serviços à Fifa, que significa deixar de arrecadar mais de 1 bilhão de Reais em impostos. mas quem se importa? Tem o brasileiro pra pagar as contas. Faço das palavras da blogueira Lya Alves as minhas:  
"Fico tentando entender o papel da igreja nesse país. Nada contra assistir os jogos, lazer é um direito constitucional. Nada contra vestir a camisa e ser patriota, nesmo com a palavra "pátria" esvaziada de seu sentido. Oque me preocupa é entrar na dança junto com os escarnecedores. Tanta gente que fez tanto "ato profético" e esperneou dizendo que o Brasil não seria mais conhecido como o "país do futebol" nos anos 90 hoje enfeita a igreja pra copa, põe telão e chama o povo pra ver e participar do Pão&Circo. Qualquer semelhança com as churrascarias é mera coincidência."
Mas o que tem me chamado atenção nos últimos dias e você verá no vídeo postado é que o futebol tem se tornado uma religião. Isso mesmo: Religião. Com seus Templos, ídolos e fiéis. Com direito a reis e deuses. E é uma religião organizada, onde a FIFA é a Igreja, com seu líder infalível, obrigando as pessoas a gastarem o dinheiro que elas não tem para a construção de majestosas catedrais (estádios). O mais triste é ver cristãos se envolvendo profundamente com essa instituição, participando de bolões, gastando rios de dinheiro com camisas (falsificadas, é claro) e ingressos, se endividando para comprar a maior TV do mercado, só para assistir ao futebol. Não estou dizendo que é pecado um crente assistir aos jogos da Copa do Mundo, de forma alguma. Eu assisti o jogo da Seleção também. Vamos deixar de hipocrisia. O problema é que a Copa tem criado uma distração sem precedentes aos crentes, onde só se ouve dos seus lábios como foi a última partida, quem ganhou, qual foi o resultado do último jogo. Só se fala em Copa do Mundo. Estamos tremendamente acomodados.

       Ah! Quão bom seria se houvesse esse mesmo ímpeto para se falar da Obra Redentora do Senhor, seu Amor, falar sobre a Bíblia, seus ensinamentos e sua história. Pergunte a alguns cristãos, por exemplo, o que eles sabem a respeito dos Profetas Menores, o nome de alguns deles e você perceberá uma tremenda ignorância de alguns irmãos acerca dessa coisas. Mas tenho certeza que sabem de cor a escalação da Seleção da Nigéria ou do Irã. A boca fala do que o coração está cheio. Há tempo pra tudo. Tempo pra diversão, tempo de ler a Bíblia, tempo de trabalhar, de comer e de dormir. Esse não é problema. O problema está em quais estão sendo nossas prioridades. Se nossa boca só fala de Seleção Brasileira, está na hora de desligarmos um pouco a TV e ler um pouco mais a Palavra de Deus ou lermos um bom livro. Aí sim de fato seremos edificados.

Jesus disse na parábola das dez virgens, que todas estavam dormindo, mas as prudentes carregavam uma porção extra de azeite e estavam preparadas. Nem toda aquela luz e azeite as impediram de dormir. Infelizmente, estamos todos dormindo, mas quem vai acordar? Jesus não esta nos estádios, mas está onde sempre esteve: ajudando os pobres e fazendo justiça. E você, onde está?

Paz à todos que estão em Cristo

Prof. Saulo Nogueira