quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A farsa da Teologia da Prosperidade

       2015 mal começou e infelizmente alguns seguidores de Mamom já começaram a lançar suas campanhas de "Restauração", "Restituição", "Posse de bênçãos" e afins. O grande problema é que essas palavras sempre vem acompanhadas de uma outra palavra que nunca falta no dicionário dessa galera: dinheiro. Isso mesmo. Só se fala em restituição financeira, restauração das finanças, bençãos materiais, unção financeira, etc. Graça, Arrependimento, Salvação, Santidade e Discipulado são palavras proibidas no linguajar desses "após-tolos" da prosperidade. Isso de fato me entristece muito. Não que eu seja contra alguém ser próspero. De maneira alguma! Um cristão ter uma vida financeira satisfatória, sua casa própria, um veículo, conseguidos com o esforço do seu trabalho e dignidade, nunca foi nem será pecado. A Bíblia traz exemplos de grandes servos do Senhor que possuíam muitas riquezas, bens, servos e rebanhos, como Abraão, Salomão, Jó, Davi, entre outros. Mas temos que entender que na época desses homens, o poder econômico era outro, o governo era Teocrático e eles não dispunham das mesmas "distrações" e "tentações" de hoje em dia. No atual sistema econômico que vivemos, é muito difícil para uma pessoa ficar rica sem explorar alguém, sem cometer fraudes fiscais e sonegações, adquirir vantagens através de propinas e extorsões, sem cometer injustiças e indiferenças (não disse ser impossível, mas muito difícil). Mas mesmo que você consiga adquirir uma fortuna considerável de forma honesta, você terá que, biblicamente, dividir ou pelo menos ajudar as pessoas mais necessitadas para que haja um equilíbrio:
"Mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdadeComo está escrito: O que muito colheu não teve demais; e o que pouco, não teve de menos."             (2 Coríntios 8:14-15) (grifo meu)
       O grande problema da Teologia da Prosperidade é que ela se torno um fim, onde suas mensagens e objetivos é levar as pessoas á crerem que as riquezas são um sinal das Bênçãos de Deus. Nem sempre. Da mesma forma que a Bíblia mostra que alguns homens de Deus foram muito ricos, também mostra homens que viveram grandes dificuldades ou perderam todos os seus bens por causa do Evangelho. O próprio Jesus Cristo viveu uma vida muito simples e humilde e jamais ensinou que as pessoas devem correr atrás de riquezas nesse mundo. Aliás, Ele nos ensina no Evangelho de Mateus:
 "Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." (Mateus 6:19-21)
"E outra vez vos digo que é mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus." (Mateus 19:24)
 "Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." (Mateus 6:33)
       Mais claro que isso, impossível! Os Fariseus tinham uma visão semelhante a de alguns "profetas da prosperidade", que imaginam que as riquezas eram sinal das dádivas de Deus e que as pessoas pobres eram amaldiçoadas devido ao seu estado de miséria e, possivelmente não iriam para o céu por serem pessoas amaldiçoadas. Para eles pobreza era sinal de maldição, teoria muito ensinada nos círculos Neo pentecostais atualmente. Mas Jesus, como sempre, lhes dá uma preciosa lição: 
"E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio." (Lucas 16:22-23)
       Quando Jesus disse que Lázaro, mendigo, foi para o céu e o rico, portador das "bênção de Deus" foi para o inferno, isso causou um extremo alvoroço entre o doutores da Lei. (Óbvio que o rico não foi para o céu simplesmente por ser rico. Uma análise do texto, nos mostra que o rico era soberbo, não se preocupava com os menos favorecidos e colocava sua riqueza acima das demais coisas). E lhes mostrou que uma pessoa por mais pobre que fosse poderia sim desfrutar das bênçãos eternas, em contraste das bênçãos temporárias prometidas pelos gurus da prosperidade.

Então ser rico é pecado?


       De forma alguma. O problema é como você ficou rico. Se suas riquezas advêm do fruto do seu trabalho honesto, se você não defraudou ninguém para alcançar sua posição, não usou de exploração do seu semelhante, muito menos roubou para atingir seus objetivos, Amém! Desfrute do fruto do seu trabalho e faça aquilo que você tem vontade. Mas não se esqueça das admoestações do Apóstolo Paulo ao irmão Timóteo:
"Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos; que façam bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis; que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam se apoderar da vida eterna." (1 Timóteo 6:17-19(grifo meu)
 "Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. (1 Timóteo 6:7-11) (grifo meu)
      O grande problema dos mercadores da fé é que eles prometem algo que o Evangelho não promete, além de criarem crentes mimados, interesseiros, narcisistas e egoístas. A fé verdadeira no Evangelho do Nosso Senhor Jesus Cristo produz em nós Salvação eterna, edificação, arrependimento e repulsa pelo pecado. Se seremos ricos ou pobres, é uma questão da vontade de Deus para cada um de nós ou sua permissividade. Uns talvez tenham discernimento e maturidade cristã para serem ricos, sem se contaminarem e, Deus permite que sejam. Já outros, infelizmente não tem condições espirituais para desfrutarem de certas benção, e Deus não permite para que não caiam em tentação. Outro fator importante é a força de vontade, trabalho e dedicação nos estudos de cada um. A possibilidade de uma pessoa cursar um bom colégio superior e se dedicar á sua profissão fará dele possivelmente uma pessoa bem sucedida e próspera. E doa a quem doer: tanto crentes quanto céticos. "Porque (Deus) faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos." (Mateus 5:45). Além de que prosperidade não significa ser rico ou milionário, mas estar satisfeito com as coisas que tem e viver com contentamento, em paz e com a consciência tranquila diante de Deus e dos homens.

         As pessoas mais ricas e bem sucedidas no mundo, ou são ateus, agnósticos (como Bill Gates que retomou o posto de homem mais rico do mundo), não professam nenhuma fé ou são católicos. O Portal Terra trouxe uma pesquisa da revista Forbes, com a lista das pessoas mais ricas do mundo. Vejamos:
Bill Gates, o homem
mais rico do mundo.

1° Bill Gates - EUA - fortuna: 76 bilhões - (agnóstico)
2° Carlos Slim - México-fortuna: 72 bilhões - (católico maronita/libanesa)
3° Amancio Ortega - Espanha-fortuna: 64 bilhões - ( não declarada)
4° Warren Buffett - EUA - fortuna: 58,2 bilhões - (agnóstico)
5°Larry Elison - EUA - fortuna: 48 bilhões - ( não declarada)
6°Charles Koch - EUA - fortuna: 40 bilhões - ( não declarada)
7°David Koch - EUA - fortuna: 40 bilhões - (não declarada)
8°Sheldon Adelson - EUA - fortuna: 38 bilhões - (Judeu - origem)
9°Christy Walton - EUA - fortuna: 36,7 bilhões - ( não declarado)
10°Jim Walton - EUA - fortuna: 34,7 bilhões - ( não declarado)

( os 10 mais ricos do Brasil, na sua grande maioria, ou são donos de cervejarias, banqueiros ou donos de emissoras de televisão)


       Se de fato o Evangelho nos promete riquezas, os cristãos mais piedosos do mundo tinham que encabeçar essa lista ou Deus falhou miseravelmente em sua promessa. E mesmo que um cristão estivesse entre os primeiros da lista, não significaria absolutamente nada para confirmar a teologia da prosperidade, visto que pessoas de todas as crenças ou faltas dela, também são milionários. O próprio Edir Macedo, Pregador da Prosperidade, Bispo da IURD "só" aparece na 1.465° posição, mesmo assim ás custas da comercialização da fé alheia, manipulação e engodo doutrinário. Além de ser dono de uma emissora secular, a Rede Record de Televisão, comprada com dinheiro de dízimos e ofertas, que quando adquirida havia a promessa de se fazer uso da emissora para a expansão do Reino de Deus. É só você ligar a Record e ver o conteúdo de sua programação para descobrir que os Iurdianos compraram gato por lebre. Além do mais, para a IURD ter sua programação ás madrugadas, a igreja paga um dos valores mais inflacionados do mercado, cerca de 20,8 milhões por mês. Isso mesmo, você não leu errado, totalizando 250 milhões de reais por ano. Mais do que o dobro cobrado pela Rede 21 (120 milhões por 22 horas diárias) e mais de 4 vezes mais do que o valor cobrado pela CNT (60 milhões por 22 horas diárias). Além de não permitir que nenhuma outra igreja "concorrente" pregue na sua grade de programação.

      Você ficar rico, sendo um empresário bem sucedido é uma coisa. Agora ficar rico comercializando a fé alheia é um grande problema. Que o Senhor ilumine o entendimento desses homens, que tem encontrado na fé dos pobres fonte de grande lucro e riqueza, para que eles encontrem a verdadeira riqueza, que é a Salvação, a fé genuína, a paz que excede todo o entendimento e a Vida eterna em Cristo Jesus.

Prof. Saulo Nogueira