sábado, 30 de janeiro de 2016

Escritor ateu reconhece que o cristianismo é a "melhor defesa contra o Islã radical"

Richard Dawkins é um famoso escritor britânico ateu.
Ele observou que o cristianismo não faz uso
de métodos violentos para cumprir seus ensinamentos.
     Apesar de passar anos criticando o cristianismo, o famoso ateu Richard Dawkins está agora a admitir que o cristianismo é muito melhor do que o Islã. Dawkins admitiu que "o cristianismo pode realmente ser a nossa melhor defesa contra as formas aberrantes de religião que ameaçam o mundo", segundo o The Gospel Herald. Dawkins observou que o cristianismo, ao contrário do Islã, não faz uso de métodos violentos para cumprir seus ensinamentos. "Não há cristãos, pelo menos que eu saiba, explodindo edifícios. Não tenho conhecimento de quaisquer ataques suicidas dos cristãos. Não tenho conhecimento de qualquer grande denominação cristã que acredita que a pena de morte é por apostasia", disse ele.

       Ele admitiu que tem "sentimentos mistos" sobre o declínio do cristianismo, porque este grupo baseado na fé pode ser apenas "um baluarte contra algo pior". O ateu argumentou que ele constantemente atacava o cristianismo no passado simplesmente porque é a religião que ele está mais familiarizado, tendo frequentado escolas cristãs enquanto crescia. Mesmo que ele tenha nascido na África, Dawkins e sua família se mudaram para a Inglaterra quando tinha nove anos de idade.

       Seu desdém para com a religião pode ter se originado a partir do abuso sexual que ele encontrou na escola, embora ele costumava dizer: "Horrível como o abuso sexual era, sem dúvida, o dano que foi indiscutivelmente inferior ao dano psicológico a longo prazo infligido por trazer a criança para um contexto católico, em primeiro lugar".
Por causa do profundo amor da ciência de seus pais, Dawkins seguiu o exemplo e perseguiu o campo da biologia. Mesmo que Dawkins pareça ser um cientista de pensamento lógico, o ateu alega que ele é muitas vezes incompreendido pelos meios de comunicação e pelo público.

       "Eu pareço ser percebido como agressivo e estridente e eu realmente não acho que eu sou estridente e agressivo. O que eu acho é que nós nos tornamos tão acostumados a ver a religião autonomizada por um muro de proteção especial que, quando alguém oferece mesmo uma leve crítica a religião, é entendido como agressivo, mesmo quando ele não é. Eu gosto de pensar que sou mais pensativo e reflexivo", disse ele.

Via: Guiame

Nota do Blog: Dawkins tem gastado muito do seu tempo militando contra a religião, principalmente contra o Cristianismo. O que ele tem apontado é que a crença em Deus é um delírio e, que Deus não passa de uma invencionice meramente humana. Os que acreditam nEle são, portanto, desonestos, iludidos ou tolos. Os religiosos são descartados como "anticientíficos, intelectualmente irresponsáveis ou existencialmente imaturos", isso quando ele está de bom humor. Porém, não me admiro muito de ouvir esse "elogio" de Dawkins da fé cristã, pois ainda lhe resta, creio eu, um pouco de bom senso. Pois dizer que o cristianismo verdadeiro é uma religião nociva, violenta e que carece de fundamentos é atentar contra toda racionalidade e não ter o mínimo de conhecimento sobre a fé cristã.

Paz do Senhor à todos

Prof. Saulo Nogueira