quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Big Bang e Teoria da Evolução não contradizem cristianismo, diz Papa

foto: AFP
       O Papa Francisco afirmou nesta segunda-feira (27), durante discurso na Pontifícia Academia de Ciências, que a Teoria da Evolução e o Big Bang são reais e criticou a interpretação das pessoas que leem o Gênesis, livro da Bíblia, achando que Deus "tenha agido como um mago, com uma varinha mágica capaz de criar todas as coisas". Segundo ele, a criação do mundo "não é obra do caos, mas deriva de um princípio supremo que cria por amor". "O Big Bang não contradiz a intervenção criadora, mas a exige", disse o pontífice na inauguração de um busto de bronze em homenagem ao Papa Emérito Bento XVI.

         O Big Bang é, segundo aceita a maior parte da comunidade científica, a explosão ocorrida há cerca de 13,8 bilhões de anos que deu origem à expansão do Universo. Já a Teoria da Evolução, iniciada pelo britânico Charles Darwin (1809-1882), que prega que os seres vivos não são imutáveis e se transformam de acordo com sua melhor adaptação ao meio ambiente, pela seleção natural. O Papa acrescentou dizendo que a "evolução da natureza não é incompatível com a noção de criação, pois exige a criação de seres que evoluem". Ele criticou que quando as pessoas leem o livro do Gênesis, sobre como foi a origem do mundo, pensam que Deus tenha agido como um mago. "Mas não é assim", explica. Segundo Francisco, o homem foi criado com uma característica especial – a liberdade – e recebe a incumbência de proteger a criação, mas quando a liberdade se torna autonomia, destrói a criação e homem assume o lugar do criador.
"Ao cientista, portanto, sobretudo ao cientista cristão, corresponde a atitude de interrogar-se sobre o futuro da humanidade e da Terra; de construir um mundo humano para todas as pessoas e não para um grupo ou uma classe de privilegiados", concluiu o pontífice.


Nota do Blog: Na visão do Papa Francisco e de alguns Cardeais da alta cúpula do Catolicismo Romano, o livro de Gênesis não passa de mitologia hebraica e não deve ser entendido de forma literal. Adão e Eva representam a humanidade em si e não necessariamente duas pessoas literais, ou como afirmou o Cardeal George Pell, da Austrália: “É uma mitologia sofisticada para tentar explicar o mal e o sofrimento do mundo”, num debate na TV com o ateu militante Richard Dawkins. O Cardeal também afirmou que os seres humanos “provavelmente” se desenvolveram dos Neandertais, mas que era impossível dizer quando houve um primeiro homem[1]. 

       O grande problema dessa conclusão é que a ele contradiz os ensinamentos de Paulo, de Jesus e até da própria ICAR acerca do pecado original e o plano de Redenção para a humanidade. Se a morte passou a reinar após a queda, como conciliar a ideia de que varias criaturas morreram , num processo de milhões de anos, com a sobrevivência do mais apto, com a alegação Bíblica na carta de Paulo aos Romanos, que diz:

“por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte” (Romanos 5:12).

Mas a evolução ensina que a morte existiu desde o princípio, muito antes que houvesse um ser humano. Em outras palavras: a morte não é um resultado do pecado. Além disso, se Adão não foi um personagem histórico real, Jesus também não foi, pois as Sagradas escrituras afirmam que:

 “Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo." (1 Coríntios 15:21-22)

"Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial. 
(1 Coríntios 15:45-49)

O evolucionismo é totalmente contrário aos ensinamentos de Gênesis acerca da criação ex-nihilo (do nada), feita por Deus num processo único e ordenado. Misturar evolucionismo com criacionismo, para tentar “solucionar” alguns problemas é criar uma teoria amorfa e sem fundamentos.

Prefiro crer na Bíblia.

Prof Saulo Nogueira